Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Era uma vez...e foram felizes para sempre!

No fundo todos gostamos de romances e finais felizes! Aqui ficam pequenas partilhas das emoções que vivemos até ao momento do beijo que nos desperta!

Era uma vez...e foram felizes para sempre!

No fundo todos gostamos de romances e finais felizes! Aqui ficam pequenas partilhas das emoções que vivemos até ao momento do beijo que nos desperta!

Espero

Uma menina de família não anda por aí com as outras. Dá-se ao respeito! Uma menina de bem não vai abanar-separa os bailaricos! Assim, a menina não arranja marido!

Tantas vezes, que a sra. minha mãe me transmitiu estes ensinamentos, que mesmo hoje com quase 7 décadas vividas ainda as tenho na minha cabeça.

E se eu gostava de dar um pezinho de dança… mas sempre no meio das giestas , sem ninguém a ver ou a acompanhar. Que a sra. minha mãe diz que moça decente não se encosta a um homem que não seja seu esposo e mesmo assim é ele e sempre ele que a procura e nunca, em tempo algum, ao contrário!

Desde que me lembro de ser gente que sei cozinhar, bordar lençóis e toalhas e fazer uma limpeza daquelas que se pode comer no chão. Era assim, era a nossa obrigação. Como dizia a sra. minha mãe, uma mulher que não sabe cuidar de uma casa, não sabe cuidar de uma família. Dizia-me muitas vezes: “Minha filha tens de estar pronta para quando aparecer o homem que contigo vai querer casar”.

Às vezes por entre as cortinas, espreitava o convívio entre os moços e moças da minha terra e tinha tanta vontade de também me poder rir como eles. Mas só de pensar em algum dia, encher-me de coragem e pedir autorização para ir, as pernas falhavam-me e o coração parava. Ainda me lembro como se fosse à cinco minutos atrás, do momento em que a sra. minha avó me apanhou a olhar lá para fora! Agarrou-me de tal forma o braço que o ar deixou de me encher o peito.

“Menina, se a tua mãe te vê aqui!!! O que é que te interessa a pouca vergonha da rua??? Queres que toda a gente fale de ti? Como é que depois vais casar?”

Naquele tempo,não perguntávamos porquê. Os mais velhos mandavam e os catraios obedeciam. Mas na verdade, naquele dia, tive vontade de perguntar porquê… 

Não estava a fazer nada de mal. Bom… verdade verdadeira, eu estava a olhar para o Manel… Era tão bonito, o Manel.

Ai, se a senhora minha mãe, soubesse que na minha cabeça vivia o Manel…

Pudesse eu escolher e era para ele que eu iria cozinhar, bordar e limpar.

“Minha filha, não podes casar com um qualquer, tem de ser um homem de família, de porte, de dinheiro. Temos de esperar que ele vai aparecer.”

E eu esperei. Sempre a olhar para o Manel pela portada. 

E eu esperei. E o Manel casou com outra.

 
E eu esperei. “Minha filha não casa com estes badamecos. Tem de ser homem em condições!”

E eu esperei.  E cozinhei, bordei , limpei e cuidei da sra. minha mãe, que tanto de mim precisou e a quem fui sempre dedicada.Não só porque é meu dever de filha mas, principalmente porque sempre foi uma mãe exemplar.


E eu esperei.

 
E eu espero. Que a sra. minha mãe nunca se enganou.