Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Era uma vez...e foram felizes para sempre!

No fundo todos gostamos de romances e finais felizes! Aqui ficam pequenas partilhas das emoções que vivemos até ao momento do beijo que nos desperta!

Era uma vez...e foram felizes para sempre!

No fundo todos gostamos de romances e finais felizes! Aqui ficam pequenas partilhas das emoções que vivemos até ao momento do beijo que nos desperta!

O caminho

Cometemos o maior erro de quem ama, ou de quem se julga amar.

 

Querer moldar o outro e achar que as pessoas mudam.

 

E isso não faz mesmo qualquer sentido.

 

Se me apaixonei pelo que és, porque raio te quero mudar? Se me amas, o que realmente te importa é a minha felicidade, mas não será hipocrisia, querer que a minha felicidade se baseie na tua vontade?

 

Fazemos juras de amor e promessas daqui até à Lua mas na verdade, se o caminho  até à Lua não passar na minha rua, vai ser difícil arranjar tempo para lá ir.

 

Atenção que isto não é uma critica ao teu comportamento, é apenas uma chamada à realidade. À nossa realidade, porque não me excluo desse plano de auto-satisfação embrulhado em papel altruísta.

 

Não duvido que gostemos um do outro, mas chamar lhe amor,possivelmente é demasiado ambicioso e auspicioso.

 

Adoramos proporcionar o melhor que temos um ao outro mas honestamente e claro inconscientemente, fazemo-lo à espera de terminada reacção. 

 

Mais do que isso, concebemo-lo na expectativa da devolução nas medidas que nos servem que nem uma luva.

 

E isso está errado? Provavelmente não.

 

Acredito que está nos nossos genes e no nosso subconsciente,que faz parte deste ser estranho que é o Homem.

 

Agora cabe-nos decidir o que queremos fazer com este conhecimento.

 

Podemos manter-nos juntos e conscientes que o percurso daqui até à Lua é um beco sem saída ou cada um vai procurar no seu mapa a rua quenos levará até lá.

 

Eu comprometo-me a começar a registar as rotas se tu indicares os percursos.

 


 

É hoje

Eu sei que a tradição manda que seja ele mas como a tradição já não é o que era!
 
Não tenho dúvidas de que é isto que eu quero, ou melhor que é com ele que quero dividir tudinho na minha vida.
 
Até sermos velhinhos e passarmos as nossa tardes nas nossas cadeiras no alpendre a ver os netos a brincar. Não consigo imaginar o cenário com outra pessoa que não ele.
 
Sim, estou lamechas mas este é o efeito que ele tem em mim.
 
Arrebatou-me,enfeitiçou-me e apoderou-se dos meus desejos, anseios e sonhos! Então agora que me aguente, para sempre!
 
Já consigo imaginar a cara dele… Nem vai acreditar!
 
Vai me dizer “quem devia fazer isso era eu”!!!
 

 

Não quero saber! Hoje, noite de Santo António, à porta da Sé quem se vai por num joelho e fazer o pedido sou eu! Mas vou trocar o anel por um manjerico!
 
 

Desde sempre

Estás na minha vida desde que existo!
 
Sempre foste o meu melhor amigo, o meu confidente, o apoio e o meu conforto. 
 
Tantos Verões que ficámos de papo parar a dizer disparates e tantas Invernos a devorar filmes.
Estiveste nas primeiras saídas à noite,nas primeiras férias sem pais. Partilhámos segredos intocáveis e na maioria das vezes já nem precisávamos de falar. Criámos uma linguagem própria com os nossos olhos.
 
Inúmeros, foram os momentos em que nos encobrimos e usamos o outro como justificação para saídas secretas. Para os nossos pais, desde que estivéssemos juntos, podíamos ir até à Lua, que não havia problema.
 
Usei o teu colo para carpir os meus desaires amorosos e fui a primeira a sentenciar quem te fazia sofrer.
 
Nunca tivemos tabus nem rodeios na forma como falávamos mas tenho de admitir que neste preciso momento estou cheia de vergonha e garantidamente tão corada como quando tinha 10 anos e percebias que te estava a esconder alguma coisa.





 
Não sei como te dizer, que ontem, pela primeira vez te vi como um homem.
Soou estranho, não foi…
 
Eu sei, para mim também!
 
E pior, amei o que vi… Como é que é possível que de um momento para o outro, tudo o que sempre te contei de como me tinha sentido nos primeiros encontros, esteja a viver contigo! CONTIGO!!!! 
Foi como se uma campanhia soasse num som estridente!
 
Simultâneamente, penso no tempo que perdi à procura do que sempre esteve aqui! Bem à frente dos meus olhos! A minha vida inteira!
 
Não sei como vais receber a noticia mas peço-te que penses nela com carinho e com calma.
Com a mesma calma que tiveste quando me ajudaste a andar de bicicleta sem rodinhas...
 
 
 
 

Saída

Vou-me embora! Sem berros sem nem confusões!

Já chega! Eu sei que tu não acreditas, no teu lugar também não acreditaria. Já o disse tantas vezes e nunca fui.

Mas desta vez vou mesmo.

Tornei-me na tua empregada de limpeza, cozinheira, motorista e moça de recados. Sou tudo menos o que sempre desejei ser, tua mulher, tua companheira.
Sempre fiz tudo para te agradar, para que vivêssemos bem mas nunca foi suficiente para ti, encontravas sempre um defeito, uma critica e foste me fazendo acreditar que tinhas razão.

Dediquei-me a esta família, a esta casa como se fosse uma missão.

Olho para trás e tento encontrar dentro de mim a resposta do porquê ter aguentado viver adormecida mas ainda não consigo chegar ao motivo.

Talvez o tempo me ajude a entender mas agora também não interessa, acordei e quero me ir embora.

Garantidamente irão questionar-me sobre o que aconteceu. E eu irei responder nada. Nada que já não tivesse acontecido, fui coleccionando respostas tortas, caras fechadas, humilhações. A de hoje foi a última que me ofereceste

Não sei o que será de ti e como vais sobreviver, sentado na tua poltrona a mandar e a ser servido, a ter tudo feito sem que tivesses de fazer por isso.

Habituaste-te a descarregar a tua frustração e pequenez em mim, a única pessoa que se preocupava contigo.

Vou buscar as minhas coisas e sei que o teu orgulho vai gritar: "Vai, desaparece!"mesmo que no fundo te estejas a sentir desesperado.

E eu irei e desaparecerei.

Sairei por aquela porta com uma serenidade desconhecida mas que já mais abandonarei!